Juína/MT, 14 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

14 de Julho de 2024


ARTIGOS Segunda-feira, 08 de Julho de 2024, 08:49 - A | A

Segunda-feira, 08 de Julho de 2024, 08h:49 - A | A

Osteoartrose é mais frequente e grave em cães maiores e mais pesados

Meu Bicho e Eu

A osteoartrose é a causa de cerca de 80% dos casos clínicos de doenças articulares em animais de companhia. Embora possa ser observada também em gatos, seu diagnóstico é mais comum em cães. “É importante destacar que todo o tipo de cão pode ser acometido pela condição, mas, de modo geral, as raças maiores podem apresentar quadros mais graves”, explica o médico-veterinário Jaime Dias, gerente técnico e de marketing de animais de companhia da Vetoquinol Saúde Animal.

A osteoartrose ocorre quando há deterioração progressiva da cartilagem articular, com remodelamento ósseo nas superfícies e margens articulares, fibrose periarticular e formação de osteófitos (crescimento ósseo anormal). A ocorrência desse quadro resulta em dor, redução significativa da atividade física, intolerância a exercícios físicos, atrofia muscular, rigidez nos movimentos e claudicação (manqueira ao caminhar).

Jaime Dias detalha que “assim como o tamanho do animal, o sobrepeso também pode aumentar a chance do desenvolvimento da osteoartrose, bem como as rupturas ligamentares, fraturas, deformidades articulares, fatores genéticos e outras condições. Uma vez desenvolvida, não há cura, porém, alguns cuidados podem melhorar a qualidade de vida do animal”.

Além de possível intervenção cirúrgica visando a melhoria do quadro, devolvendo conforto para o cão, o controle de peso do animal é uma das medidas essenciais para reduzir o sobrepeso e esforços necessários para locomoção e sustentação do corpo. A adoção de terapia física, prescrita pelo médico-veterinário, é outra medida recomendada em casos de osteoartrose.

“Alguns medicamentos também são aliados importantes. Além do controle mais rigoroso da dieta e a realização de exercícios físicos, a suplementação alimentar pode ser benéfica, contribuindo com a manutenção da saúde articular, promovendo mobilidade e flexibilidade e melhora do quadro clínico”, detalha o especialista da Vetoquinol.

Entre as alternativas disponíveis para a saúde articular, destaca-se o suplemento alimentar Flexadin® Advanced, que reúne em uma fórmula exclusiva o UC-II, Ômega 3 e Vitamina E, tendo como característica a administração facilitada por meio de tabletes mastigáveis e palatáveis. Outro destaque importante é o anti-inflamatório Cimalgex®, que reduz a inflamação e as dores causadas pela condição clínica e contribui para melhora significativa do bem-estar dos cães.

“O tutor deve levar seu melhor amigo ao médico-veterinário com frequência, pois, em caso de desenvolvimento desse quadro, o profissional saberá elaborar a melhor prescrição de acordo com a necessidade do animal”. 

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros