Juína/MT, 21 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

21 de Julho de 2024


Brasil Segunda-feira, 02 de Janeiro de 2023, 08:51 - A | A

Segunda-feira, 02 de Janeiro de 2023, 08h:51 - A | A

Revogação de decretos que facilitam compra de armas e munições é publicada

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) revogou as normas do governo de Jair Bolsonaro (PL) que ampliavam o acesso a armas de fogo e munições. O ato está oficializado no Diário Oficial da União desta segunda-feira (2). Essa era uma das promessas de campanha do petista, que é favorável ao desarmamento da população.

O decreto foi assinado por Lula durante a cerimônia de posse, no domingo (1º), e, entre outras medidas, suspende novos registros de armas por caçadores, atiradores e colecionadores (CACs) e por particulares, reduz os limites para compra de armas e munição de uso permitido e suspende novos registros de clubes e escolas de tiro. 

O documento ainda prevê que todas as armas compradas desde maio de 2019 sejam recadastradas pelos proprietários em até 60 dias. E também cria um grupo de trabalho para propor nova regulamentação para o Estatuto do Desarmamento, de 2003.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, também assina o decreto. Nas redes sociais, ele comentou que a política que facilitava a compra de armas e munições é "incompatível com a Constituição, com a Lei 10.826 e com decisões do STF [Supremo Tribunal Federal]".

 

 

Fonte: R7

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros