Juína/MT, 14 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

14 de Julho de 2024


Cidades Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2023, 08:41 - A | A

Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2023, 08h:41 - A | A

Desigualdade; conheça as cidades mais ricas e mais pobres de Mato Grosso

Estudo elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgado nesta semana traçou um panorama do fluxo de renda dos brasileiros no ano de 2020. Por meio dos dados publicados, o  enumerou as cidades com maiores e menores rendas de Mato Grosso.

Segundo o órgão, a coleta de dados foi realizada unindo a base de informações do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF) a da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - a chamada Pnad Contínua. 

Em Mato Grosso, 9 dos 10 municípios com as maiores rendas médias mostrados no levantamento são produtores de soja. A lista é encabeçada por Primavera do Leste (R$ 2.776), que ocupa o 15º lugar no ranking dos 100 municípios mais ricos do agronegócio brasileiro, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Sapezal (R$ 2.719,00) e Sorriso (R$ 2.631,00) completam o "top-3".

Cuiabanos têm rendimento médio de R$ 2.428,00 - o quarto do Estado. É a única cidade do "top-10" que não tem sua economia voltada à produção de grãos.

Na outra ponta, Barão de Melgaço (113 km ao Sul) tem a menor renda média da população mato-grossense, com R$ 201,00. A cifra dos melgacianos é 13 vezes menor do que a observada em Primavera, também na região Sul.

“A desigualdade de renda no Brasil é ainda maior do que o imaginado quando incorporamos o topo da distribuição usando dados do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), indo para a ponta do ranking mundial”, diz o levantamento.

Ainda de acordo com os autores do estudo, mesmo com o Auxílio Emergencial tendo preservados a renda dos mais pobres, a desigualdade não caiu durante o ano de 2020, como se acreditava. “Isso porque o ganho da classe média tupiniquim teve desempenho muito pior que o dos mais ricos”.

Cidades com as maiores rendas médias de MT 

1. Primavera do Leste: R$ 2.776

2. Sapezal: R$ 2.719

3. Sorriso: R$ 2.631

4. Cuiabá: R$ 2.428

5. Lucas do Rio Verde: R$ 2.091

6. Querência: R$ 1.923

7. Campo Novo do Parecis: R$ 1.917

8. Campos de Júlio: R$ 1.846

9. Campo Verde: R$ 1.756

10. Sinop: R$ 1.720

Cidades com as menores rendas médias de MT

1. Barão de Melgaço: R$ 201

2. Rondolândia: R$ 265

3. Cotriguaçu: R$ 271

4. Nossa Senhora do Livramento: R$ 277

5. Colniza: R$ 278

6. Santa Terezinha: R$ 289

7. Juruena: R$ 292

8. Alto Paraguai: R$ 314

9. Reserva do Cabaçal: R$ 317

10. Canabrava do Norte: R$ 321

 

 

Fonte: GD

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros