Juína/MT, 24 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

24 de Junho de 2024


Lista de Notícias Domingo, 14 de Outubro de 2018, 00:00 - A | A

Domingo, 14 de Outubro de 2018, 00h:00 - A | A

Área do cemitério de Juína está embargada, afirmar MPE

Juína News

A área do cemitério municipal de Juína encontra-se embargada desde a gestão passada do ex-prefeito Hermes Bergamin, conforme entrevista do promotor de justiça cível Marcelo Linhares.

O promotor de justiça Marcelo Linhares falou ao site do Juína News que já existe um inquérito civil sobre o embargo que ocorreu ainda na gestão passada, onde a SEMA, constatou que havia irregularidades e notificou a prefeitura na época para que fizesse um projeto de licença ambiental, o que é necessário em todos os cemitérios do país, uma vez que os restos mortais quando se decompõe eliminam líquidos que contaminam os lençóis freáticos contaminando assim as águas da região.

O MP afirmou que o cemitério municipal não tem um projeto de construção, indevidamente o que consistem em crime ambiental, ato de improbidade administrativa e falta administrativa.

Na época do ex-prefeito Hermes Bergamin, a SEMMA já havia feito o embargo e autuado o prefeito chegando à época ser processado o município para que fizesse as adequações das normas, porém não foi constatado mudança nenhuma, onde a prefeitura fez um estudo e elaborou um projeto errado, sendo rejeitado pela SEMA e reenviado para que um novo projeto fosse realizado, fato que não aconteceu.

Como conseqüência do projeto rejeitado, a prefeitura foi novamente multada, por ter desrespeitado o embargo da obra, restando ao Ministério Público, abrir uma ação civil tendo como investigados o atual prefeito Altir Peruzzo e o ex-prefeito Hermes Bergamim.

Na ação civil, o promotor investiga de quem é a responsabilidade de ter feito a obra 'errada', e quem vai pagar a multa que o município levou, pois o administrador que não administrou corretamente, independente de quem quer que seja, terá que devolver o dinheiro aos cofres públicos, e só então liberar os sepultamentos no cemitério, revelou em um trecho da entrevista o promotor de justiça Marcelo Linhares.

O cemitério municipal continua embargado, e cada sepultamento viola a lei de embargo da SEMA, o que poderá gerar novas multas para o município, onde caberá ao município resolver a problemática o quanto antes, pois já responde a uma ação judicial contra o mesmo.

Apesar desta ação civil do MPE, os sepultamentos acontecem normalmente no cemitério municipal.

Comente esta notícia

cidadãojuinense 15/10/2018

Deveriam enterrar os mortos nas casas desses governantes que não respeitam o espaço dos falecidos. Lembrem-se senhores que vocês também irão apodrecer na terra. Enquanto viverem serão lembrados, depois serão comidas para vermes e poluidores da natureza. Então façam seus papéis e respeitem os vivos e as memórias de nossos entes queridos.

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros