Juína/MT, 25 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

25 de Julho de 2024


Mato Grosso Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2023, 07:55 - A | A

Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2023, 07h:55 - A | A

Sema-MT apreende 450 kg de pescado ilegal na primeira semana após fim da piracema

A pesca está permitida nos rios de Mato Grosso mas deve seguir as regras de cota e medida dos peixes

Da Redação

Na primeira semana após a liberação da pesca em Mato Grosso, entre os dias 3 e 10 de fevereiro, foram apreendidos mais de 450 kg de pescado ilegal pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), em parceria com a Polícia Militar.

As apreensões ocorreram em barreiras terrestres nas estradas de todo o estado e denúncias. Conforme o coordenador de Fiscalização de Fauna da Sema-MT, Alan Silveira, os flagrantes ocorreram principalmente pela falsa percepção dos infratores de que a fiscalização é reduzida após o término do defeso da piracema.

"A fiscalização continua tanto nos rios quando por terra para coibir a pesca ilegal com uso de redes, a pesca em unidades de conservação, e o tranposrte de espécies fora das medidas e quantidade permitidas", destaca.

No período, foram feitas 255 barreiras terrestres nas regiões da Baixada Cuiabana, Juína, Juara, Ponte Branca, Alto Araguaia, Rondonópolis e Itiquira. As multas aplicadas somam R$ 49.198,00 e três pessoas foram conduzidas à Delegacia. Foram apreendidas 7 redes, que tem o uso proibido por configurar pesca predatória, e uma tarrafa.

Pesca liberada nos rios de MT

Mesmo após o término do defeso da piracema no dia 3 de fevereiro, a fiscalização dos rios continua. A proibição continua nos rios de divisa com outros estados até o dia 28 de fevereiro. Ao todo, 17 rios se enquadram na categoria de divisa.

Quem praticar a pesca ilegal pode receber multas que variam entre R$ 1 mil e R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por kg de peixe encontrado. Também poderá ter o pescado, equipamentos e embarcação apreendidos, além de responder na esfera criminal e civil pela ilegalidade.

A Sema destaca a obrigatoriedade da carteira de pesca, seja ela amadora ou profissional, para pescar e transportar. Também deve ser respeitada a cota de transporte, que para amador é de 5 kg e um exemplar, e para profissional é de 125 kg por semana.

Denuncie a pesca ilegal

Quem se deparar com algum crime ambiental deve denunciar por meio dos telefones 0800 065 3838, WhatsApp (65) 9 9321-9997 ou comparecendo em uma das nove diretorias regionais ou sede da Sema em Cuiabá.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros