Juína/MT, 17 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

17 de Junho de 2024


Mato Grosso Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2023, 10:05 - A | A

Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2023, 10h:05 - A | A

Técnicos do Indea e do Mapa dão palestras em propriedades na fronteira para prevenir gripe aviária em MT

Municípios visitados têm a avicultura comercial expressiva

Da Redação

Técnicos do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estão percorrendo os principais municípios de Mato Grosso com  cuja a avicultura comercial é expressiva, para promover palestras de orientação quanto aos cuidados de prevenção e identificação da Influenza aviária. A ação é preventiva e foi definida neste mês, após a confirmação de quatro casos de gripe aviária na Bolívia, país vizinho ao Estado.

Na segunda-feira (13.02) os servidores do Indea e Mapa passaram por Sorriso; na terça-feira (14.02) por Nova Mutum, na quarta-feira (15.02) em Nova Marilândia e encerram amanhã (16.02) o ciclo de palestras em Tangará da Serra. Esses encontros, realizados em parceria com prefeituras e entidades produtivas da avicultura, tem reunido profissionais da avicultura como médicos veterinários e técnicos agrícolas, criadores de aves e representantes de frigoríficos e granjas.  

O Indea enfatiza durante as palestras que o controle de acesso a aviários, frigoríficos e demais estabelecimentos da avicultura é fundamental para garantir a segurança sanitária do plantel estadual. Entre as recomendações repassadas aos participantes das palestras está a higienização das mãos e troca de roupas e sapatos antes de adentrar as granjas, desinfecção de todos os veículos que acessam a propriedade e evitar o contato da granja com outras aves, em especial aves silvestres.

“Nós do Indea realizamos continuamente ações de vigilância para identificar a doença antes que se espalhe, para isso, além das visitas e vistoria das aves nas propriedades, contamos com a participação do produtor para nos avisar sobre a ocorrência de doenças. O que ocorre é que com o registro de casos na Bolívia, a luz de alerta foi ligada e nós, juntamente com a cadeia avícola, intensificamos ainda mais essas medidas de prevenção à doença, promovendo esse circuito de palestras para os avicultores para reforçar as  medidas de biosseguridade nas granjas”, explica o coordenador de Defesa Sanitária Animal da autarquia, João Marcelo Nespoli.

Mato Grosso está entre os dez estados brasileiros que mais exportam carne de frango. A atividade avícola no Estado conta com 350 granjas em 28 cidades, e um total de 58 milhões de aves.

Quem é da atividade, como o produtor Jaime Cella, 56 anos, de Nova Mutum, a preocupação quanto ao impedimento do registro da doença não é apenas do Governo do Estado. “A doença nos preocupa porque está ao nosso redor. Tem casos na Venezuela, na Colômbia, no Equador, no Peru, no Chile e agora na Bolívia. Então, todo o cuidado sanitário deve ser mantido, reforçado e destacado, e essas palestras têm nos ajudado a desmitificar a doença e como manter as nossas aves sadias”, explica Cella, que está a há 16 anos está na atividade avícola.

O que fazer em caso de suspeita de gripe aviária?

Todas as suspeitas de Influenza aviária devem ser notificadas imediatamente, presencialmente ou por telefone ao Indea. Na página da autarquia é possível encontrar o endereço e telefone de todas as unidades instaladas no Estado. Outra opção é fazer a notificação pela internet na plataforma e-Sisbravet.

Sintomas

A influenza aviária de alta patogenicidade é caracterizada principalmente pela alta mortalidade de aves que pode ser acompanhada por sinais clínicos, tais como andar cambaleante torcicolo; dificuldade respiratória e diarreia.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros