Juína/MT, 24 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

24 de Junho de 2024


Mundo Segunda-feira, 18 de Setembro de 2023, 16:15 - A | A

Segunda-feira, 18 de Setembro de 2023, 16h:15 - A | A

Alpinista sobrevive após queda de 600 metros na Nova Zelândia

Um alpinista que teve uma queda de 600 metros da encosta de uma das montanhas mais perigosas da Nova Zelândia teve “uma sorte excepcional” por sobreviver após cair na neve, disse a polícia na última segunda-feira (11).

O homem fazia parte de um grupo de alpinistas que se aproximava do cume coberto de neve do monte Taranaki, na ilha Norte da Nova Zelândia, quando perdeu o equilíbrio e escorregou, segundo a CBS News.

“Depois de observar seu colega deslizar montanha abaixo e desaparecer de vista, outro membro do grupo desceu para tentar localizá-lo”, informaram as autoridades. 

O policial Vaughan Smith disse que o homem não identificado sofreu ferimentos leves durante a queda na tarde de sábado (9). O alpinista perdeu sua picareta, usada para dar apoio, e outros poucos equipamentos de segurança durante a queda, completou a polícia.

"Graças ao clima recente da primavera, o gelo amoleceu e a neve impediu a queda do alpinista. Ele tem uma sorte excepcional de estar vivo", disse Smith, em comunicado. “Essas são áreas desafiadoras e, quando as coisas dão errado, muitas vezes há consequências graves."

O alpinista escorregou na mesma área onde dois outros alpinistas morreram em 2021. Um francês morreu após despencar do mesmo pico em 2016.

Escalar o monte Taranaki exige “habilidade e preparação especiais”, devido ao risco de avalanche e às temperaturas abaixo de zero, de acordo com o Departamento de Conservação da Nova Zelândia.

O Conselho de Segurança de Montanha da Nova Zelândia descreve o Taranaki como um desafio para os escaladores durante todo o ano, alertando para sua reputação como uma das "montanhas mais mortíferas" do país.

A polícia orientou os alpinistas a terem o equipamento correto ao tentar escalar a montanha e a usar sinalizadores de socorro para "salvar vidas", já que a cobertura de telefonia móvel da Nova Zelândia não é confiável no interior.

“Não estar devidamente equipado pode resultar num final muito diferente para a história de sábado”, disse a polícia.

 

 

 

Fonte: R7

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros