Juína/MT, 22 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

22 de Julho de 2024


Mundo Segunda-feira, 17 de Abril de 2023, 08:41 - A | A

Segunda-feira, 17 de Abril de 2023, 08h:41 - A | A

Primeiro-ministro japonês escapa ileso após explosão durante evento de campanha

O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, saiu ileso após uma forte explosão ser registrada durante um ato eleitoral na cidade de Wakayama.

O incidente ocorre menos de um ano após o assassinato do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe, que chocou o país e aumentou a segurança nesses eventos públicos.

Kishida estava na cidade portuária para apoiar um candidato local do partido governista e se preparava para fazer um discurso aos apoiadores quando o incidente ocorreu.

Imagens gravadas pela televisão nacional NHK mostram o líder virando-se para olhar para trás enquanto as equipes de segurança detêm uma pessoa e a multidão começa a se dispersar.

Segundos depois, uma detonação é ouvida e o local é tomado por uma nuvem de fumaça branca.

Esta rede de televisão informou que um homem havia sido detido no local por suspeita de obstrução de um negócio. A polícia local se recusou a comentar.

Testemunhas no local relataram momentos de pânico: "Corri freneticamente e cerca de dez segundos depois houve um barulho muito alto e meu filho começou a chorar. Fiquei paralisada, meu coração ainda está batendo muito rápido", disse uma mulher à NHK.

"Alguém gritou 'para o culpado!' ou 'eles jogaram uma bomba' e todos começaram a se dispersar", disse um homem à mesma emissora.

"É lamentável que algo assim tenha acontecido no meio de uma campanha eleitoral que é a base da democracia. É uma atrocidade imperdoável", disse à NHK o chefe de estratégia eleitoral do partido governista, Hiroshi Moriyama.

A segurança nos comícios de campanha do Japão pode ser relativamente frouxa, já que o país tem leis rígidas contra armas e poucos crimes.

Mas a segurança em torno dos políticos foi reforçada após o assassinato do ex-primeiro-ministro Shinzo Abe, que foi baleado durante um comício de campanha em julho de 2022.

 

 

Fonte: R7

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros