Juína/MT, 14 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

14 de Julho de 2024


Mundo Segunda-feira, 25 de Setembro de 2023, 09:23 - A | A

Segunda-feira, 25 de Setembro de 2023, 09h:23 - A | A

Rei Charles repudia a invasão russa e pede enfrentamento às mudanças climáticas

O rei Charles 3º fez história nessa quinta-feira (21) ao tornar-se o primeiro soberano britânico a fazer um discurso no Senado da França, durante o qual repudiou a invasão da Ucrânia pela Rússia e apelou a novas ações para enfrentar a crise climática. Ele foi recebido com entusiasmo na Câmara e aplaudido de pé pelos parlamentares ao entrar.

"Agora, mais de 80 anos desde que lutamos, lado a lado, pela libertação da Europa, enfrentamos mais uma vez uma agressão ao nosso continente. Nossa aliança e nossa determinação são tão importantes como sempre. Juntos, mantemo-nos solidários com o povo ucraniano. Juntos, estamos firmes na nossa determinação de que a Ucrânia triunfará e que as nossas queridas liberdades prevalecerão", afirmou Charles.

"Esses acontecimentos horríveis demonstraram mais uma vez a fragilidade de tantas coisas que nos são caras. Tal como nos mantemos unidos contra a agressão militar, também devemos lutar juntos para proteger o mundo do nosso desafio mais existencial de todos — o do aquecimento global, das alterações climáticas e da destruição catastrófica da natureza", acrescentou o soberano. 

Charles também elogiou a "relação indispensável" entre o Reino Unido e a França, que ele afirmou ser "tão firme como sempre foi". Ele prometeu que, enquanto for rei, vai procurar fortalecer ainda mais os laços entre os países, acrescentando que "juntos, o nosso potencial é ilimitado".

O soberano habilmente alternou entre francês e inglês ao longo de seu discurso. A rainha Camilla pediu desculpas pelo seu "francês um pouco enferrujado", mas afirmou que foi um "enorme prazer" lançar o novo prêmio literário Prix de l'Entente Litteraire ao lado da primeia-dama da França, Brigitte Macron.

Camilla disse que ela e a primeira-dama francesa compartilham um "profundo amor pela literatura e uma paixão pela promoção da alfabetização". Ela acrescentou que ambas viram em primeira mão como os livros podem mudar vidas e "nos trazer alegria, conforto, companheirismo, risos e lágrimas, abrindo nossos olhos para as experiências dos outros e nos lembrando que não estamos sozinhos".

 

 

Fonte: R7

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros