Juína/MT, 21 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

21 de Julho de 2024


Polícia Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 11:58 - A | A

Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 11h:58 - A | A

COMBATE A CRIMES AMBIENTAIS

Batalhão Ambiental aplica mais de R$ 2 milhões em multas por desmatamento ilegal e apreende máquinas

Equipes identificaram desmatamento, corte raso e focos de incêndio, em Santa Carmem

Juína News com Assessoria

O Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental aplicou multa R$ 2.071 milhões por crimes ambientais, no município de Santa Carmem (484 km de Cuiabá), durante a Operação Flora Hotspot-2024, que visa fortalecer as ações no combate ao desmatamento ilegal na região do bioma amazônico. A penalidade foi aplicada, nesta segunda-feira (08.07).

Na ação, foram apreendidas uma caminhonete, dois tratores, um tanque de combustível contendo 600 litros de óleo diesel e 12 toras em madeiras medindo aproximadamente 13 metros cúbicos, em uma propriedade rural às margens da MT-422.

As equipes identificaram desmatamento, corte raso e focos de incêndio, nas proximidades da Estrada Tomazoni, em comunidade conhecida como Gleba Amarelinho. 

Os policiais militares encontraram um homem, que alegou que tinha sido contratado para fazer a limpeza do local. Ele apontou o proprietário da fazenda, no entanto, ninguém foi localizado.

Na área, as equipes ainda flagraram diversos maquinários, um veículo e um galão de combustível. Além disso, os policiais flagraram uma área, de quase nove hectares, com focos de queimada ativa. As atividades eram desenvolvidas sem a devida autorização dos órgãos competentes. 

Os maquinários apreendidos foram levados à prefeitura municipal. Os militares ainda aplicaram uma multa no valor de R$ 2.071 milhões pelos crimes ambientais. 

 
Disque-denúncia   

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do 190, ou disque-denúncia 0800.065.3939.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros