Juína/MT, 24 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

24 de Junho de 2024


Polícia Quarta-feira, 03 de Julho de 2019, 00:00 - A | A

Quarta-feira, 03 de Julho de 2019, 00h:00 - A | A

Homem que assassinou cunhada a pauladas tem prisão preventiva decretada em Juína

Juína News

Edimar Mendes Bugari, de 32 anos, que assassinou a cunhada dele Ana Paula Bugari Gonçalves, de 28 anos, teve a prisão decretada pela justiça no fim da tarde desta terça-feira durante audiência de custódia realizada no fórum da comarca de Juína/MT.

O acusado foi preso em flagrante ainda no local do cirme pela polícia civil após ele mesmo confessar a autoria do feminicídio.

O corpo da vítima foi localizado no inicio da tarde de ontem e estava dentro de um brejo numa região de mata que fica a cerca de 2 a 3 km de onde ela havia desaparecido na manhã do último sábado.

O corpo de bombeiros com auxilio de familiares e amigos, inclusive o próprio autor do crime auxiliaram nas buscas por Ana Paula que desapareceu após ter ido buscar a sogra em outro ponto do sítio que pertence ao sogro dela na linha J.

As primeiras investigações são de que o suspeito teria ceifado a vida da vítima com “duas ou três pauladas” em sua cabeça, ele mesmo confessou essas agressões.

A motivação para o cometimento de tamanha barbaridade, segundo Edimar, é porque ela teria dito que contaria aos familiares sobre um suposto relacionamento extraconjugal que mantinham, e que, com “medo” de descobrirem ele a assassinou de forma brutal.

Num trecho de sua decisão da audiência de custódia, o juiz disse que a gravidade do crime é acentuada, inclusive, pela aparente frieza como teria agido o Edimar ao confessar na delegacia de polícia que no domingo voltou ao local onde o corpo da vítima estava e o arrastou “um pouco mais para baixo” para que ficasse “mais escondido”, inclusive dizendo que “ajudou a procurar” a vítima para não “dar suspeita” sobre ele.

A polícia civil aguarda um laudo perícia oficial (POLITEC) possa identificar quais as  violencias que Ana Paula sofreu enquanto esteve em poder de seu cunhado.

Edimar permanece preso no CDP, em Juína.

 

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros