Juína/MT, 19 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

19 de Junho de 2024


Polícia Quarta-feira, 13 de Setembro de 2023, 09:38 - A | A

Quarta-feira, 13 de Setembro de 2023, 09h:38 - A | A

prejuízo 12 milhões

Operação Ceres cumpre 48 mandados contra quadrilha que desviou cargas de bebidas de cervejaria nacional

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos apurou que os desvios ocorridos durante dois anos causaram prejuízo estimado em R$ 12 milhões ao fabricante

Juína News com Assessoria

A Polícia Civil de Mato Grosso cumpre 48 mandados judiciais, nesta quarta-feira (13.09), dentro da Operação Ceres, coordenada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá, contra uma associação criminosa que se formou para praticar diversos crimes contra uma fabricante nacional de bebidas instalada na capital.

Noventa policiais civis cumprem, em diversos endereços na Capital, as seguintes ordens judiciais: 18 buscas e apreensões domiciliares; 19 buscas e apreensões de computadores e aparelhos celulares e quebra do sigilo telemático; 06 ordens de sequestro e arresto de bens móveis; 04 ordens de quebra do sigilo bancário e fiscal e uma ordem de penhora no valor de R$ 12.782 milhões em desfavor dos investigados.

O inquérito policial instaurado apura os delitos de associação criminosa, lavagem de dinheiro, furto qualificado, receptação qualificada e falsidade ideológica contra uma quadrilha que se associou para desviar bebidas alcoólicas de cinco marcas produzidas pela cervejaria nacional.

A investigação da Polícia Civil iniciou a partir do recebimento de uma denúncia da Associação Brasileira de Combate à Falsificação apontando que estavam ocorrendo desvio frequentes de lotes das marcas Budweiser, Skol, Antártica, Brahma e Stella Artois da empresa fabricante.

Desvios de mercadorias

A Delegacia de Roubos e Furtos da Capital apurou que os desvios eram praticados por funcionários da cervejaria e de duas empresas que prestam serviços de logística à fabricante. A execução dos crimes contava com a participação de empregados que atuavam nas funções de conferencistas, porteiros, motoristas, ajudantes de motorista, carregadores, entre outros.

O grupo envolvido desviava mercadorias que eram devolvidas por clientes da cervejaria. Para isso, era falsificada uma declaração por parte do conferencista e do porteiro confirmando que houve a entrada dos lotes de cervejas na fábrica. Em seguida, as cargas das bebidas eram desviadas aos receptadores.

Os lotes de cervejas seguiam, então, para os receptadores, um deles uma distribuidora localizada na Avenida Arquimedes Pereira Lima, no bairro Jardim Renascer. Dois funcionários da distribuidora tinham conhecimento do esquema criminoso.

 Prejuízo financeiro

Informações fornecidas pela fabricante de bebidas, a partir do sistema de controle de inventário, apontaram um prejuízo estimado em quase R$ 12.800 milhões. Os números foram apurados nas diferenças de itens de estoque levantadas pela cervejaria no inventário mensal nos anos de 2021 e 2022.

A Operação Ceres conta com apoio de equipes da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários, Politec-MT, e da Secretaria de Estado de Fazenda e unidades policiais da Diretoria Metropolitana.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros