Juína/MT, 18 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

18 de Junho de 2024


Polícia Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2023, 07:35 - A | A

Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2023, 07h:35 - A | A

FAMÍLIA PEDE JUSTIÇA

Vítima de chacina se mudou aos 17 anos para Mato Grosso e fazia torneios de sinuca

Maciel Bruno de Andrade Costa,35, umas das vítimas da chacina que vitimou outras 6 pessoas em um bar de Sinop (a 500 km de Cuiabá), na última terça-feira (21), era torcedor fanático do Flamengo e deixou o Maranhão aos 17 anos para construir a vida na “Capital do Nortão”. 

Ele era dono do estabelecimento em que Ezequias Souza Ribeiro, 27, e Edgar Ricardo de Oliveira, 30, cometeram o assassinato em massa. O primeiro foi morto em confronto com a polícia nesta quarta-feira (22), o segundo segue foragido e garantiu se entregar à Polícia, como informou seu advogado.

De acordo com Fabiana Souza, 25, prima de Marciel, ele escolheu Sinop como sua segunda casa. “Ele saiu do Maranhão e foi para lá [Sinop] tentar mudar de vida. Ele era apaixonado por Sinop e falava com muito orgulho da cidade”, diz a jovem. “Era uma pessoa muito alegre e não se envolvia em confusão. Era uma pessoa muito boa para todo mundo”.

À reportagem, ela disse que Maciel conseguiu um emprego em um frigorífico assim que chegou a Sinop. Ao passo que as condições financeiras dele foram melhorando, resolveu investir na abertura de um empreendimento. Ou seja, o bar, inaugurado há cerca de 10 anos.

“Ele tinha vontade de ter o próprio negócio e abrir o bar. Sempre jogou bem sinuca, sempre jogou muito bem e aí começou a organizar torneios”, revela Fabiana. Ainda de acordo com ela, seu primo costumava participar e organizar torneios em outras cidades de Mato Grosso.

Em um dos vídeos, Marciel aparece em um bar mostrando quantia em dinheiro. Ele narra que são R$ 20 mil. “Olha aqui, ó! Vinte ‘conto’! Dez mil na parada! Dez mil! Aqui, ó, Vinte! Vinte!”.

Segundo informou Fabiana, a gravação pode ter acontecido em Alta Floresta, já que o rapaz foi recentemente à cidade participar de um torneio de sinuca.

Além de estar sempre antenado e acompanhando torneios de sinuca, Marciel também era um torcedor fanático do Flamengo e assíduo as partidas do time rubro negro. “O Flamengo era a vida dele, não perdia o jogo. Vivia falando para eu trocar de time”, diz Fabiana.

Ela pediu por justiça pela morte de seu primo e das outras 6 pessoas assassinadas. Marciel deixa um casal de filhos. O sepultamento do rapaz será em Sinop.

 

 

Fonte: GD

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros