Juína/MT, 22 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

22 de Junho de 2024


Cidades Segunda-feira, 21 de Agosto de 2023, 08:53 - A | A

Segunda-feira, 21 de Agosto de 2023, 08h:53 - A | A

CONGÊNITA

MPF verifica medidas de combate à sífilis em Mato Grosso após relatório de universidade

Em portaria publicada no Diário do Ministério Público Federal (MPF) de sexta-feira (18) a procuradora da República Denise Nunes Rocha Müller Slhessarenko instaurou procedimento administrativo para verificar as medidas tomadas no Estado de Mato Grosso para prevenção e combate à sífilis congênita. 

A procuradora citou um relatório do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN, sobre sífilis congênita no Brasil, expondo inconsistências encontradas quanto à sistemática de notificação da doença no país.

O laboratório ainda solicitou a apreciação do "Relatório - Notificações de Sífilis Congênita no Brasil: um alerta para a falta de investigação dos casos" pelo MPF para que se possa avaliar a necessidade de acompanhamento ou recomendações com base nos achados destacados.

O relatório apontou a obsolescência do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) e do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), a demora na geração de dados referentes à sífilis congênita por meio de boletins anuais da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, dificuldades dos profissionais de saúde no uso do Sinan, falta de integração entre a vigilância e a atenção primária à saúde, a ausência de interoperabilidade entre a Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS), usada pela atenção primária e o Sinan, bem como a inexigibilidade de condicionamento aos repasses federais à investigação de sífilis congênita.

Considerando a necessidade de, a partir das informações dos autos, a procuradora determinou a “instauração de Procedimento Administrativo, [...], para acompanhar, no âmbito do Estado de Mato Grosso, a sistemática de notificação de sífilis congênita, bem como as medidas adotadas para a prevenção e combate à doença”.

 

 

Fonte: GD

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros