Juína/MT, 18 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

18 de Junho de 2024


Gerais Quinta-feira, 23 de Novembro de 2023, 10:43 - A | A

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2023, 10h:43 - A | A

Sanidade animal

Indea orienta produtores a registrarem apiários e informar casos suspeitos de Cria Pútrida Européia

Dois casos da doença já foram confirmados no Estado; Governo e parceiros promoveram live para explicar sobre a doença

Juína News com Assessoria

O Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) orienta aos produtores de mel que registrem seus apiários junto ao órgão de vigilância e comuniquem qualquer suspeita de Cria Pútrida Européia nas colméias. 

A médica veterinária do Indea Erika Gleice do Nascimento explica que a doença, causada por uma bactéria, acomete as crias das abelhas Apis melífera e abelhas nativas, podendo ocasionar a morte prematura das abelhas. 

"As principais características de identificação da doença incluem mudanças na coloração e aspecto irregular das larvas, bem como favos com falhas e opérculos perfurados", aponta a veterinária. 

Erika observa que, recentemente, houve a confirmação de dois casos da doença em Mato Grosso, registrados em Juara e em Pedra Pedra, após exames realizados no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária do Rio Grande do Sul (Lanagro-RS). Por isso, ela ressalta a importância da comunicação em caso de suspeitas da doença. 

“Estamos orientando os produtores a manter seus apiários registrados junto o Indea, para que possamos ter dados que nos balizem em ações futuras, e que avisem imediatamente sobre qualquer suspeita ou ocorrência da doença. Sabemos que a tomada de medidas preventivas e de controle é fundamental para minimizar o impacto da doença, preservando, assim, a saúde das abelhas e da produção de mel”, pontua a médica veterinária. 

Para orientar sobre a doença, o Indea também realizou, em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar), uma transmissão ao vivo sobre os aspectos da enfermidade. Conforme a médica, a intervenção contra a doença é importante para evitar a diminuição na produção do mel ou mesmo a perda totoal da colônia.

De acordo com dados da autarquia, a apicultura está presente em 114 dos 141 municípios de Mato Grosso, contabilizando mais de 16 mil colônias instaladas em 828 estabelecimentos rurais.

Em caso de suspeita da doença, o apicultor deve avisar imediatamente ao Indea, para que o órgão faça a investigação. A autarquia está presente em 139 cidades do Estado. Confira os endereços da autarquia AQUI. 

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros