Juína/MT, 21 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

21 de Julho de 2024


Mundo Segunda-feira, 22 de Maio de 2023, 09:18 - A | A

Segunda-feira, 22 de Maio de 2023, 09h:18 - A | A

Em resposta à sanções, Moscou proíbe entrada de 500 americanos no país, incluindo Obama

Em resposta a uma nova rodada de sanções dos Estados Unidos, a Rússia anunciou na sexta-feira (19) que estava proibindo 500 americanos de entrar no país, incluindo o ex-presidente Barack Obama e o comediante Stephen Colbert.

A lista divulgada pelo ministério das Relações Exteriores não especifica as denúncias contra cada indivíduo. Mas o ministério disse que as ofensas incluíam espalhar a russofobia, fornecer armas à Ucrânia e funcionários "que estão diretamente envolvidos na perseguição de dissidentes após a chamada 'tempestade do Capitólio'". 

A proibição inclui 45 membros da Câmara dos EUA, Sens. J.D. Vance, Katie Britt e Eric Schmitt, e os ex-embaixadores na Rússia, John Tefft e Jon Huntsman.

O ministério disse que também negou um pedido dos EUA de acesso consular a Evan Gershkovich, o repórter do Wall Street Journal que foi preso no final de março e acusado de espionagem. O ministério disse que foi uma resposta aos Estados Unidos negando vistos a jornalistas russos que queriam cobrir a visita do ministro das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, às Nações Unidas no mês passado.

As últimas sanções contra a Rússia incluem restrições mais rígidas a pessoas e empresas já sancionadas e envolvidas no esforço de guerra. As penalidades financeiras foram focadas principalmente em sonegadores de sanções ligados à aquisição de tecnologia para o Kremlin.

 

 

Fonte: Estadão

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros