Juína/MT, 22 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

22 de Julho de 2024


Gerais Terça-feira, 18 de Abril de 2023, 19:04 - A | A

Terça-feira, 18 de Abril de 2023, 19h:04 - A | A

Falta projetos

Corpo de Bombeiros interdita duas empresas em Juína

As empresas não tinham projeto de prevenção contra incêndio e pânico

Juína News

Tarde de terça-feira (18/04) Militares da 14ª CIBM (Companhia Independente Bombeiro Militar) interditaram em Juína, ao Noroeste de Mato Grosso, duas empresas, uma delas de revenda de peças e acessórios, e a outra oficina de motos, por inadequações no projeto de prevenção contra incêndio e pânico.

Segundo informações apuradas pelo site Juína News, as interdições são provenientes de um procedimento iniciado no ano de 2021 no município, no qual foi constatada as irregularidades nas empresas.

De acordo com o soldado Gleyson França, da 14ª CIBM, no ano de 2021, quando se constataram as irregularidades, foi realizada a 1ª notificação das empresas com prazo de 120 dias para regularização.

“Foi feito uma notificação e uma avaliação inicial, no qual apontamos algumas irregularidades na edificação, a exemplo da necessidade de um projeto de prevenção a incêndio e pânico, execução de sistema de hidrante e alarme de incêndio”, destacou.

Decorrido o prazo, já no ano de 2022, durante execução de segunda vistoria, os militares constataram a continuidade das irregularidades, sendo aplicado termo de multa para ambas as empresas, além do fornecimento de novo prazo de 30 dias para adequação.

“Na época orientamos que findou esse novo prazo e nada fosse feito, no sentido de se regularizarem, não seria possível se prorrogar mais esses prazos e seria interditado os locais, que foi o que aconteceu hoje”, pontuou o soldado Gleyson.

Os projetos de prevenção contra incêndio e pânico variam entre empresas, pois levam em consideração o que é comercializado, a exemplo de produtos inflamáveis ou tóxicos, bem como fluxo de pessoas e a extensão da estrutura predial, e a ausência de acompanhamento de um profissional técnico da área é um erro comum na hora de elaborar e implementar o projeto, finalizou o militar.

Siga o Juína News nas redes sociais facebook/juinanews e no Instagram clicando aqui @juinanews 

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros