Juína/MT, 25 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

25 de Julho de 2024


Mato Grosso Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2023, 08:13 - A | A

Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2023, 08h:13 - A | A

Três obras especiais para MT prometem ficar prontas este ano

Três obras emperradas há anos em Mato Grosso tiveram o cronograma novamente ajustado e conclusão prevista para 2023. No rol de empreendimentos programados estão a internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande, a Zona de Processamento e Exportação (ZPE) em Cáceres e o gasoduto em Cuiabá.  

Apesar de possuir a classificação “internacional” em sua identificação, o Aeroporto Marechal Rondon ainda não está autorizado a realizar embarques e desembarques de passageiros com origem ou destino fora do país. Está apto apenas para o transporte de cargas internacionais. No ano passado, o principal aeroporto de Mato Grosso, situado na região metropolitana de Cuiabá, recebeu 1,4 milhão de pessoas até novembro, 48,3% acima de 2021.  

Responsável pelo terminal aeroportuário desde o início de 2020, a concessionária Centro Oeste Airports (COA) informa que foram realizadas diversas melhorias no local, conforme rege o contrato de concessão. A previsão é concluir ainda neste ano as obras iniciadas de ampliação, modernização e internacionalização para voos comerciais. Até o momento, porém, não foi protocolada solicitação para que o Aeroporto Marechal Rondon possa operar comercialmente voos internacionais de passageiros, esclarece a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).  

Com relação ao alfandegamento, o auditor-fiscal e chefe da Seção de Administração Aduaneira da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Cuiabá, Roney Augusto Paes de Barros lembra que o terminal esteve “em vias de ser alfandegado no final de 2019, antes da pandemia”. Na época, faltavam adequações a serem implementadas pela COA. “Com a disseminação da pandemia, o cenário mudou e o processo de alfandegamento foi interrompido pela concessionária do aeroporto”, explica. Em reunião realizada em 2022 com a RFB, representantes da COA informaram que os efeitos causados pela pandemia ainda não estavam totalmente superados e que, portanto, o processo de alfandegamento seria reiniciado “possivelmente no 2º semestre de 2023”, expõe Barros.  

A anuência de alfandegamento do aeroporto Marechal Rondon foi solicitada pela COA à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e está em fase de avaliação, informou a autarquia responsável pela fiscalização de portos, aeroportos e fronteiras. 

 

 

Fonte: GD

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros