Juína/MT, 22 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

22 de Junho de 2024


Brasil Segunda-feira, 24 de Abril de 2023, 08:17 - A | A

Segunda-feira, 24 de Abril de 2023, 08h:17 - A | A

Bloqueio da China à carne brasileira derruba produção de alimentos, diz IBGE

O embargo imposto pela China as importações de carne bovina brasileira contribuíram para a queda de 1,1% da produção de produtos alimentícios em fevereiro, na comparação com o mês anterior, segundo dados revelados nesta quarta-feira (19) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

"A queda observada na produção de carne bovina teve a influência da suspensão das exportações para a China por conta do mal da vaca louca no final do mês de fevereiro", afirma André Macedo, gerente responsável pela PIM (Pesquisa Industrial Mensal). No mês, a fabricação de produtos de carne caiu 6,8%. 

As vendas de carne bovina brasileira para a China foram suspensas voluntariamente entre os dias 23 de fevereiro e 23 de março, após a descoberta de um caso atípico da doença da vaca louca no estado do Pará. Outros países também interromperam a compra da proteína brasileira.

Os produtores de carne bovina no Brasil estimam perder até US$ 25 milhões por dia de embargo. Cerca de 62% das exportações brasileiras de carne bovina tiveram como destino a China no ano passado.

Além das carnes bovinas, a menor produção de aves, suínos, sucos e derivados da soja figuram como as principais influências negativas para o resultado do ramo alimentício no mês de fevereiro, na comparação com janeiro.

 

 

Fonte: R7

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros