Juína/MT, 14 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

14 de Julho de 2024


Cidades Sexta-feira, 08 de Setembro de 2023, 07:03 - A | A

Sexta-feira, 08 de Setembro de 2023, 07h:03 - A | A

prejuízos incalculáveis

Para conter risco de gripe aviária, 320 aves são sacrificadas em MT

A zootecnista responsável pelo cuidado dos animais disse que eles não apresentavam sintomas da doença e que não foi favorável à decisão da eutanásia. Já o Indea informou que a medida é resguardada pela legislação

Um total de 320 aves silvestres, que foram resgatadas na última quinta-feira (31), pela Polícia Rodoviária Federal, foram submetidas a eutanásia na quarta-feira (6) em Sorriso, 420 km de Cuiabá, após determinações feitas pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea).

Em nota, o Instituto informou que a medida, além de ser resguardada pela legislação vigente, era necessária por se tratar de aves sem procedência sanitária e que a "introdução da doença traria prejuízos incalculáveis, não só a economia do município, mas também do estado e do país".

A zootecnista e proprietária da clínica onde os animais estavam, Karine de Camargo, disse que não foi favorável à decisão da eutanásia, mas afirmou que não poderia descumprir a determinação do órgão.

De acordo com Karine, uma médica da sua equipe fez uma avaliação dos pássaros e constatou que nenhum deles apresentava sintomas da doença.

“A gente respeita os órgãos, estamos aqui para cumprir nosso papel, que é de consulta, tratamento e reabilitação dos animais destinados a nós pra isso. Como existe uma ordem de alguns responsáveis por isso, a gente não pode impedir que isso se cumprisse”, disse ela.

A zootecnista ainda relatou que se colocou à disposição para que as aves permanecessem na clínica por mais 180 dias para que passassem por uma avaliação gratuita.

Na última quinta-feira (31), governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil), declarou estado de emergência zoossanitária no território mato-grossense para prevenir a Influenza Aviária H5N1 de Alta Patogenicidade (IAAP), conhecida como gripe aviária.

O decreto vale por 180 dias. Até então, o estado não possui registros de casos da doença.

As aves sacrificadas são da espécie ‘Canário Venezuelano’ que, antes do resgate, estavam sendo transportadas em oito gaiolas com destino a São Paulo, onde seriam comercializadas.

 

 

 

Fonte: G1 MT

 

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros