Juína/MT, 18 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

18 de Junho de 2024


Juína Sexta-feira, 21 de Julho de 2023, 17:30 - A | A

Sexta-feira, 21 de Julho de 2023, 17h:30 - A | A

Torturou vítima

Membro do comando vermelho é condenado a mais de 19 anos de reclusão em Juína

Juína News

Fruto de uma investigação minuciosa e exitosa da Polícia Judiciária Civil, a organização criminosa comando vermelho teve mais um de seus membros condenado pelo Júri Popular na comarca de Juína, no Noroeste de Mato Grosso. Na sessão de julgamento realizada na terça-feira, dia 18 de julho, o Tribunal do Júri deu total procedência à denúncia do Ministério Público para condenar Kleberson Diogo Santana de Lima a 19 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão, em regime inicial fechado e sem direito de recorrer em liberdade, pelos crimes de homicídio duplamente qualificado de Rogério Diego dos Santos, organização criminosa, tortura, corrupção de menores e ocultação de cadáver.

Relembre o crime: Polícia Civil conclui investigação do assassinato de ativista do LGBTQIA+ em Juína

Conforme a denúncia do MPMT, Kleberson Diogo Santana de Lima e Angélica de Sá integram a organização criminosa Comando Vermelho, com o objetivo de monopolizar o tráfico de drogas na região norte de Mato Grosso. 

Em novembro de 2021, ambos os acusados, aliciando outros dois adolescentes, torturaram a vítima Rogério Diego dos Santos com emprego de violência e grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico e mental, com o fim de obter informação, declaração e/ou confissão acerca de eventual furto/receptação de um televisor de propriedade do denunciado Kleberson. 

A tortura foi arquitetada por Kleberson, responsável por reunir e indicar os comparsas que participariam do crime, e autorizada por Angélica, superior aos demais na hierarquia da facção. Os adolescentes capturaram a vítima em sua residência e executaram a tortura, tendo desferido diversos quinze golpes de facão nas pernas e na cabeça de Rogério. 

Diante da recusa da vítima em prestar informações, mesmo sofrendo tortura, bem como para evitar que ela os denunciasse à polícia, Kleberson, com anuência de Angélica, determinou a execução. Ele, junto aos adolescentes, degolou a vítima, e, em seguida, ocultaram o corpo dela em local ermo e alagado.

A acusada Angélica Saraiva de Sá ainda não foi a júri tendo em vista que recorreu da decisão de pronúncia. 

O Ministério Público irá recorrer da decisão para aumentar a pena imposta ao sentenciado.

Siga o Juína News nas redes sociais facebook/juinanews e no Instagram clicando aqui @juinanews

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros