Juína/MT, 22 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

22 de Junho de 2024


Polícia Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2023, 08:21 - A | A

Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2023, 08h:21 - A | A

homicídio bárbaro

Autor de homicídio que ateou fogo na vítima é preso pela Polícia Civil em Aripuanã

Crime ocorreu no dia 29 de dezembro, quando os envolvidos tiveram uma discussão durante uma bebedeira

Da Redação

Um homem apontado como autor de um bárbaro homicídio ocorrido em Aripuanã (1.002 km a noroeste de Cuiabá) teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil, nesta quinta-feira (09.02). O suspeito de 51 anos, que ateou fogo na vítima com vida foi localizado no distrito de Conselvan, a cerca de 80 quilômetros do município.

O crime ocorreu no dia 29 de dezembro em uma residência em Aripuanã. Na ocasião, a vítima e o suspeito estavam ingerindo bebida alcoólica desde a data anterior, quando tiveram uma discussão. O suspeito saiu da casa e em seguida voltou com um balde de gasolina, jogou sobre a vítima e ateou fogo.

Uma pessoa que estava no local ajudou a apagar o fogo, sendo a vítima socorrida e encaminhada ao Hospital Municipal de Aripuanã, sendo posteriormente transferida para unidade hospitalar na Capital, onde não resistiu aos ferimentos, e morreu no dia 05 janeiro.

Assim que foi acionada do bárbaro crime, a equipe da Polícia Civil de Aripuanã iniciou a apuração dos fatos, identificando o suspeito e representando pelo mandado de prisão preventiva. A ordem judicial foi deferida pela Justiça, porém o suspeito estava foragido desde a data do crime.

Em diligências para localizar o suspeito, os policiais da Delegacia de Aripuanã receberam informações sobre o paradeiro do procurado, no Distrito de Conselvan. Os investigadores diligenciaram até a região, onde foi dado cumprimento à ordem de prisão.

Ele foi conduzido à Delegacia de Aripuanã, onde foi interrogado pelo delegado Fernando Albuquerque, e posteriormente colocado à disposição da Justiça.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros