Juína/MT, 15 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

15 de Junho de 2024


Polícia Quinta-feira, 06 de Julho de 2023, 12:40 - A | A

Quinta-feira, 06 de Julho de 2023, 12h:40 - A | A

investigação

Delegado diz que não tem ninguém vendendo doce envenenado em Juara

A PJC está investigando o caso de uma suposta tentativa de envenenamento, provocado por uma pessoa, que, supostamente, teria vendido doce envenenado.

Após um pânico criado em Juara pela publicação, tanto em redes sociais, como em alguns veículos de comunicação da cidade, onde foi amplamente divulgado, que uma mulher de aproximadamente 40 anos de idade, teria dado entrada no hospital municipal de Juara, passando mal, convulsionando, contando que teria ingerido um doce, supostamente envenenado, recebido de uma pessoa que estaria vendendo ou entregou à ela na rua de sua casa, a reportagem do Show de Notícias foi até a delegacia da polícia judiciária Civil e ouviu ao delegado adjunto Erik Fantin, que está investigando o caso.

O delegado disse ao Show de Notícias, que foi até o hospital municipal e conversou com o médico plantonista, que, por sinal é o médico legista de Juara e recebeu dele a informação de que várias causas naturais podem ter acontecido com a mulher, que ela pode ter consumido a rapadura e ter passado mal por causa disso, mas que não existem elementos que comprovem que alguém esteja vendendo produto envenenado.

Dr. Erik Fantin disse que não há elemento nenhum de que alguma pessoa esteja vendendo produto contaminado na cidade, tentando envenenar alguém e que a população deve tomar cuidado com conclusões precipitadas e, principalmente, tentar fazer justiça com a próprias mãos, contra vendedores ambulantes, por suspeita de que esteja vendendo algum produto contaminado.

Investigadores da Polícia Judiciária Civil foram até a residência da mulher que teria sido envenenada, mas não conseguiram comprovação de que o envenenamento tenha ocorrido.

A Polícia Civil também pediu exame de sangue da vítima, para tentar desvendar o mistério e só após o resultado, poderá ter uma conclusão mais precisa sobre o fato.

 

 

Fonte: Show de Notícias

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros