Juína/MT, 22 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png youtube001.png
aa9a80b34a620ff8aded7659831dc4b1.png
https://cdn.juinanews.com.br/storage/webdisco/2023/07/07/original/6752654577c6b33b1b62a50f637045f0.png
00:00:00

22 de Junho de 2024


Polícia Sexta-feira, 24 de Novembro de 2023, 08:49 - A | A

Sexta-feira, 24 de Novembro de 2023, 08h:49 - A | A

Organização criminosa

Mandantes e autor de homicídio em Sinop são condenados a 74 anos de reclusão

O crime ocorreu em 10 de abril de 2019 e vitimou João Marcos D’Ávila Câmara Santos, conhecido pelo apelido de ‘Peixoto

Juína News com Assessoria

Três criminosos investigados pela Polícia Civil como mandantes e autor de um assassinato ocorrido em Sinop, há quatro anos, foram condenados nesta semana em tribunal do Júri a penas que, somadas, chegam a 74 anos de reclusão. 

O crime ocorreu em 10 de abril de 2019 e vitimou João Marcos D’Ávila Câmara Santos, conhecido pelo apelido de ‘Peixoto’. 

A investigação da Divisão de Homicídios da Polícia Civil em Sinop apurou que ele foi atingido por nove disparos de arma de fogo e executado porque estava vendendo droga na “cabritagem”, quando então uma organização criminosa determinou sua morte. 

A Polícia Civil identificou que a ordem para a execução da vítima partiu de dois líderes de uma facção, que já estavam presos por outros crimes - João Luis Baranoski e Leonardo dos Santos Pires.  O autor dos disparos, Lucas da Costa, atraiu a vítima ate o bairro Menino Jesus e no local combinado fez vários disparos de pistola calibre 9 mm contra João Marcos. 

Na sessão do tribunal do júri realizado nesta terça-feira (21.11), na Comarca de Sinop, os réus foram condenados pelos crime de homicídio duplamente qualificado e organização criminosa.

João Baranoski recebeu uma condenação de 24 anos e nove meses; Leonardo Pires foi condenado a 30 anos e um mês e Lucas a 20 anos e um mês de reclusão. Todos seguem detidos em unidades do Sistema Penitenciário do estado.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros